UM FOTÓGRAFO ÀS TERÇAS

Massimo Berruti. Nasceu em Roma em 1979. Em 2003 interessou-se pela fotografia e, no ano seguinte, abandonou o curso de Biologia que frequentava para ser fotógrafo a tempo inteiro. O mundo perdeu um biólogo mas ganhou um imenso Fotógrafo. Inicialmente trabalhou num projecto colectivo sobre a crise cultural e industrial em Itália. Este trabalho culminaria com a edição do livro Made in Italy, pulicado em 2006.

Com uma tremenda coragem, desde 2008 tem coberto zonas de imensa turbulência política, social e religiosa. Disso são exemplos as suas séries dedicadas ao Paquistão (como, entre diversas outras, “Hidden Wounds”, “Drones Victims”, “The IDPs Drama /the Swat Valley”) ou Afeganistão (“Afghanistan, a daily distress”).

As suas fotografias são uma ferida aberta. Uma visão íntima sobre vidas dilaceradas num vórtice de caos. Vistas a partir do “conforto” e “ordem” do mundo privilegiado em que vivemos, deveriam recordar-nos que o “Fim da História” de que falava Fukuyama não foi mais do que uma fugaz utopia naïve e que aquilo que tomamos por adquirido é, afinal e pelo contrário, uma singularidade histórica.

Massimo Berruti não “visita” os locais que fotografa. É de “imersão” que se trata. Vive com as suas gentes, come a sua comida. Sabe ver e ouvir. É assim o melhor fotojornalismo.

Site: Massimo Berruti; Página Agência VU.

Documentário Fotografi II Serie 2014 – Massimo Berruti

Afghanistan, Kabul June 2008: Drug addicted person  just arrived to the rehabilitation ward.
Afghanistan, Kabul June 2008: Drug addicted person just arrived to the rehabilitation ward.
Afghanistan, Kabul June 2008: CHAMAD, large space dedicated to the Fridays entertainments.
Afghanistan, Kabul June 2008: CHAMAD, large space dedicated to the Fridays entertainments.
Karachi, Pakistan, September 2010: Golimar Square near Razvia Market. A man Killed by the rangers during the response to fire. Shiite people belonging to MQM were burning busses and cars in sign of protest for the assassination in London of Imran Farooq, top leader of MQM party. Protesters were firing on the people passing through the square before the arrival of the rangers.
Karachi, Pakistan, September 2010: Golimar Square near Razvia Market. A man Killed by the rangers during the response to fire. Shiite people belonging to MQM were burning busses and cars in sign of protest for the assassination in London of Imran Farooq, top leader of MQM party. Protesters were firing on the people passing through the square before the arrival of the rangers.
Gao, Mali, december 2007: School for blind boys, a girl has a tactile game.
Gao, Mali, december 2007: School for blind boys, a girl has a tactile game.
Rawalpindi, Pakistan, June 2011: Sadda Ullah Wazir, 15 years old student. On  September the 7th 2009, during Ramadam, he was breaking his fast with the rest of the family. Once back home from the mosque a missile striked the house. Three people died in the attack, his disable grand Father brother (45) , the nephew (28), driver by profession. The press reported that Ilyas Kashmiri died in the attack. Sadda Ullah lost both the legs and his right eye.
Rawalpindi, Pakistan, June 2011: Sadda Ullah Wazir, 15 years old student. On September the 7th 2009, during Ramadam, he was breaking his fast with the rest of the family. Once back home from the mosque a missile striked the house. Three people died in the attack, his disable grand Father brother (45) , the nephew (28), driver by profession. The press reported that Ilyas Kashmiri died in the attack. Sadda Ullah lost both the legs and his right eye.
Afghanistan, Kabul June 2008: Child  seated nearby the psychiatric hospital wall.
Afghanistan, Kabul June 2008: Child seated nearby the psychiatric hospital wall.
Afghanistan, Kabul June 2008: Drug addicted person, self-isolated.
Afghanistan, Kabul June 2008: Drug addicted person, self-isolated.
Turkey, Istanbul, 09 June 2013 Kurds demonstrators are joining the Gezi Park to start a parallel fight in Gazi suburbs. Turquie, Istanbul, 09 juin 2013 Des manifestants Kurdes ont rejoint le parc Gezi et affrontent la police dans le quartier. Massimo Berruti / Agence VU
Turkey, Istanbul, 09 June 2013
Kurds demonstrators are joining the Gezi Park to start a parallel fight in Gazi suburbs.
Turquie, Istanbul, 09 juin 2013
Des manifestants Kurdes ont rejoint le parc Gezi et affrontent la police dans le quartier.
Massimo Berruti / Agence VU
Afghanistan, Kabul June 2008: Ancient man suffering from mental problems for having been electrically shocked by a cut le electric cable.
Afghanistan, Kabul June 2008: Ancient man suffering from mental problems for having been electrically shocked by a cut le electric cable.
Afghanistan, Kabul June 2008: Samsur, a young man  with mental problems since he was born.
Afghanistan, Kabul June 2008: Samsur, a young man with mental problems since he was born.
Afghanistan, Kabul June 2008: Russian Cultural department. Drug addicted persons in the corridors of the bombed building.
Afghanistan, Kabul June 2008: Russian Cultural department. Drug addicted persons in the corridors of the bombed building.

 

Todas as imagens de Massimo Berruti


Esta rubrica não é um guia dos notáveis da fotografia. Menos ainda, um espaço de “crítica” fotográfica (para a qual não estou qualificado nem tenho vocação). É um espaço que não aspira à neutralidade, reflectindo antes um gosto pessoal. Falarei dos fotógrafos cuja obra me toca, desafia e me faz reagir – não apenas visualmente, mas visceralmente. Precisamente por não ser um espaço de crítica, não haverá lugar para fotógrafos cujo trabalho não seja do meu agrado.

João Jarego


Os fotógrafos desta rubrica, estão disponíveis, após a sua publicação, em: Um fotógrafo às terças, com acesso ao arquivo por data de publicação e nome de autor.

Anúncios

Finalizámos os Diários de Um Quotidiano em Setúbal

Finalizámos o projeto fotográfico Diários de Um Quotidiano, com os voluntários do grupo Toma Lá Dá Cá.

Este projeto consistiu na construção de um documento fotográfico sobre o Bairro do Troino e do Viso. A mostra final deste projeto, que aconteceu na passada quinta-feira, consistiu na apresentação do diário de campo com as fotografias realizadas ao longo de todo o processo, personalizado por cada participante.

Agradecemos à SEIES, à equipa do Centro de Cidadania Ativa e a todos os voluntários, a partilha, a generosa dedicação e a enorme colaboração neste projeto.

Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_1 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_2 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_3 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_4 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_5 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_6 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_7 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_8 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_9 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_10 Cadernos_DiariosDeUmQuotidiano_11

 

Nos apontamentos fotográficos de Luís Rocha, podemos ver algumas das voluntárias e a apresentação entre o grupo dos diários de campo.

Obrigado.

PEDIFOTO Este Espaço Que Habito 2015, anunciado o vencedor

Apresentámos ontem, em sessão que decorreu na Arte Graça – Espaço Cultural e Educativo da Junta de Freguesia de São Vicente, os resultados fotográficos do 2º PEDIFOTO Este Espaço Que Habito.  Marina Luzia foi a concorrente vencedora desta edição, que apresentou, na opinião do júri que foi composto pelos jurados Luís Rocha, Nuno Morais e José Oliveira, o trabalho fotográfico mais coerente na relação das imagens com os temas propostos, tendo também em conta a abordagem fotográfica nas 20 fotografias apresentadas.

As imagens foram realizadas em processo estenopeico (pinhole), com as câmaras a serem construídas pelos próprios participantes.


PEDIFOTO Este Espaço Que Habito 2015

© Marina Luzia

PEDIFOTO
Tema 1 – De amarelo se faz o caminho
PEDIFOTO
Tema 2 – Sobe e desce
PEDIFOTO
Tema 3 – Vejo-te passar
PEDIFOTO
Tema 4 – Isto tem Graça
PEDIFOTO
Tema 5  – Antes e depois
PEDIFOTO
Tema 6 – Do pequeno faço grande
PEDIFOTO
Tema 7 – Velhos são os trapos
PEDIFOTO
Tema 8 – Referências de outros tempos
PEDIFOTO
Tema 9 – Em segunda mão
PEDIFOTO
Tema 10 – Passei o dia a ver-te trabalhar
PEDIFOTO
Tema 11 – Agora parei aqui
PEDIFOTO
Tema 12 – Estrangeiro em Lisboa
PEDIFOTO
Tema 13 – Toda a cidade
PEDIFOTO
Tema 14 – 28 Prazeres
PEDIFOTO
Tema 15 – É na rua do meio
PEDIFOTO
Tema 16 – E o tempo não passa
PEDIFOTO
Tema 17 – De dentro para fora
PEDIFOTO
Tema 18 – Terreiro dos vizinhos
PEDIFOTO
Tema 19 – Pedras, ruelas e calçadas
PEDIFOTO
Tema 20 – Este espaço que habito

Esta atividade fotográfica tem como objetivo o de  divulgação do projeto Integrar pela Arte e pretende proporcionar um dia de convívio entre os que possuem o interesse comum da fotografia.


Fotografia de Rua com o fotógrafo Luís Rocha

20130411_FotografiaRua_MEF_©LuísRocha_26
© Luís Rocha. Bairro da Bica, Lisboa.
20130411_FotografiaRua_MEF_©LuísRocha_42
© Luís Rocha. Marítimo, Bairro da Bica, Lisboa.
20130411_FotografiaRua_MEF_©LuísRocha_63
© Luís Rocha. Elevador da Bica, Bairro da Bica, Lisboa.

Quem é a personagem principal na narrativa?

Qual é o ambiente de fundo?

Como os “atores da situação” interagem entre si? Que tipo de emoção estão a transmitir?

Alguns dos tópicos que serão falados no módulo de fotografia de rua com o fotógrafo Luís Rocha.

Apresentação e Entrega de Prémio, PEDIFOTO Este Espaço Que Habito

Acontece amanhã, 27 de Junho pelas 17h, a apresentação/projeção de todas as imagens realizadas pelos participantes no PEDIFOTO Este Espaço Que Habito que se realizou no passado sábado no Bairro da Graça em Lisboa. Nesta sessão, aberta ao público, será revelado o trabalho fotográfico vencedor do PEDIFOTO.

Local: Arte Graça – Espaço Cultural e Educativo da Junta de Freguesia de São Vicente. Rua da Graça, 27-29 – Lisboa.


Pequena reportagem, com fotografia de Miguel Carriço, sobre o PEDIFOTO Este Espaço Que Habito realizado no Bairro da Graça em Lisboa no dia 20 de Junho de 2015.

PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_001
Recepção dos participantes.
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_002
Construção das câmaras estenopeicas.
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_003
Apresentação do PEDIFOTO Este Espaço Que Habito
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_004
Realização das imagens, de acordo com os temas propostos.
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_005
Equipa técnica do MEF num dos locais de controlo.
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_007
3 participantes com a passagem certificada pelo posto na Feira da Ladra.
PEDIFOTO_EEQH2015©MiguelCarrico_006
Na Vila Berta, no posto final de entrega dos rolos fotográficos.

Imagens do encontro de fotografia “Diários de um quotidiano”

Diários de Um Quotidiano
O vídeo apresentado é uma pequena mostra das imagens que foram realizadas nos dois encontros “Diários de um quotidiano”. Clicar na imagem para aceder ao vídeo.

No início do ano de 2015 aconteceram os Encontros de Fotografia nas aldeias da União das Freguesias do Freixial e Juncal do Campo no âmbito das Aldeias Artísticas promovidas pelas associações EcoGerminar e Terceira Pessoa, promotoras do “Há Festa no Campo”.

Estes encontros, denominados  “Diários de um quotidiano”,  foram  orientados por Tânia Araújo e Luís Rocha do Movimento de Expressão Fotográfica, em que se pretendeu que os participantes (convidados e habitantes das aldeias) contactassem com as populações, através da fotografia, das aldeias do Barbaído, Chão da Vã, Freixial do Campo e Juncal do Campo, de forma a comporem coletivamente um diário do quotidiano dos habitantes destes lugares. Destes encontros de fotografia resultou uma exposição  e projeção, inseridas no 1º Festival “Aldeias Artísticas” que aconteceu nos dias 19, 20 e 21 de Junho de 2015. O vídeo apresentado nesta página é uma pequena mostra das imagens que foram realizadas nos dois encontros “Diários de um quotidiano”.

O MEF sugere…

3 propostas fotográficas às quintas-feiras.

A terminar o mês de Junho, voltamos a falar de fotografia, iniciamos com Koudelka,  continuamos com  uma visita a Berlim, à Helmut Newton Foundation e terminamos em Cuba, com Alberto Korda e Che Guevara.

 ::

Para conhecer, sugerimos:

Josef Koudelka,  fotógrafo francês, de origem checa, nascido em 1938, na cidade de Boskovice. Apesar de ter estudado engenharia entre 1956 e 1961 interessou-se por fotografia, tendo iniciado carreira como fotógrafo independente em 1967. Em 1970 juntou-se à agência Magnum. Durante toda a sua carreira dedicou-se ao fotojornalismo sendo conhecido pelas suas posições pessoais e ideológicas, bem patentes nas suas imagens. Relevante na sua obra é o seu trabalho documental sobre ciganos denominado Koudelka Gypsies de 1975. (in: www.infopedia.pt/$josef-koudelka)

CZECHOSLOVAKIA. Prague. August 1968. Warsaw Pact troops invade Prague. © Josef Koudelka/Magnum Photos
© Josef Koudelka/Magnum Photos | CZECHOSLOVAKIA. Prague. August 1968. Warsaw Pact troops invade Prague.                                

 ::

Para visitar, sugerimos: 

Helmut Newton Foundation. Berlim, Alemanha. Criada pelo próprio no final de 2003, é uma fundação internacional dedicada à promoção, preservação e apresentação dos trabalhos fotográficos de Helmut Newton e June Newton (Alice Springs).

Captura de ecrã 2015-06-1, às 22.55.09

 ::

Para conhecer, sugerimos:  

O famoso retrato de Che Guevara, intitulado Guerrillero heroico (em português: Guerrilheiro heróico), foi tirado por Alberto Korda em 5 de março de 1960 em Havana, Cuba durante um memorial dedicado às vítimas da explosão de La Coubre.

alberto_korda
Guerrillero Heroico © Alberto Korda

CheHigh

 ::

Movimento de Expressão Fotográfica, 25 de Junho de 2015.

Todas as sugestões da rubrica “O MEF sugere…” estão disponíveis, após a sua publicação, em: 3 propostas fotográficas às quintas-feiras, com acesso ao arquivo por data de publicação.

Fotografia de Rua com Luís Rocha, em Julho no MEF

 

FotografiaRua_Imagem_296
© Luís Rocha | Bairro da Bica em Lisboa

Fotografia de rua, documentário social e fotografia documento. A Fotografia de rua envolve a aproximação de pessoas – muitas vezes bastante perto. Para fazer este género de imagem de proximidade não poderemos ser um observador distante.

[Programa Completo] e [Ficha de Inscrição]

Carga horária

20 Horas

Horário

Quinta-feira: 19h30m / 22h30m – (sessão teórica)

Sábado: 10h / 13h – (sessão prática)

14h30m / 18h30m – (sessão prática)

Domingo: 10h / 13h – (sessão prática)

14h30m / 18h30m – (sessão prática)

Terça-feira: 19h30m / 22h30m – (sessão teórica)

Datas de Formação

2, 4, 5 e 7 de Julho

Valor da formação

Novos Alunos: valor módulo – 150€

Alunos e Antigos Alunos MEF: valor módulo – 125€

Formador

Luís Rocha [Ver Galeria]

Um fotógrafo às terças

Michael Ackerman. Fotógrafo americano, nascido em Tel Aviv, Israel, em 1967. Mudou-se com os pais para Nova Iorque em 1974. Abandona a universidade para se dedicar à fotografia. Desenvolve um estilo muito próprio.
Na semana passada, a leitora Catarina Correia fez um comentário pertinente relativamente à fotógrafa escolhida. Respondendo, escrevi a dado ponto (e fazendo um contraponto ao tipo de registo mais documental que então destaquei): “Eu diria que um artista utiliza (sempre) o mundo para falar de si.”
Michael Ackerman, numa entrevista, disse “(…) I think I only photograph people I recognize something of myself in. That might sound too abstract or even untrue but I didn’t know how else to say it.”. Estamos, afinal, a dizer a mesma coisa. Tem desenvolvido projectos em diversas geografias, mas a “geografia” que ele “cartografa” é o seu mundo interior.
A fotografia de Michael Ackerman deixa antever um carácter introspectivo, taciturno.
As suas entrevistas revelam isso mesmo. Pela sua linguagem verbal e não verbal. Pela parcimónia com que usa as palavras …
Questionado acerca das histórias por trás das suas fotografias: “I can’t really say what the stories I photograph are about or why the need to show pictures to people. I think some things don’t need explanation.”
Questionado acerca das suas fontes de inspiração: “The same as everyone else. Being alive and being aware of death.”
Questionado acerca do que diz a quem frequenta os seus workshops sobre o que é mais importante na fotografia: “To make mistakes.”
Michael Ackerman fotografa exclusivamente em analógico. Admite vir a experimentar o digital, mas define-se como sendo “muito lento” e não sabe se e quando tal virá a acontecer. Não dá particular importância ao equipamento fotográfico: utiliza máquinas “pequenas e simples”. O mesmo não se pode dizer do processo de revelação e impressão, no qual se aplica afincadamente e confessando sem problemas que, na maioria dos casos, não obtém os resultados pretendidos.
Na minha opinião, o seu trabalho é absolutamente extraordinário. Não é um homem de palavras. Nem tem que sê-lo, afinal, escolheu a fotografia como meio de expressão. Deixemos, então, as suas fotografias falarem por si.

Site: Michael Ackerman

Michael Ackerman, Interview 28-11-2013 by Clément Thierry, Fisheye (en)

End Time City – Michael Ackerman / PhotoBook Club Lisbon

Michael Ackerman – Fiction

Michael_Ackerman_01 Michael_Ackerman_02 Michael_Ackerman_03 Michael_Ackerman_04 Michael_Ackerman_05 Michael_Ackerman_06 Michael_Ackerman_07 Michael_Ackerman_08 Michael_Ackerman_09 Michael_Ackerman_10 Michael_Ackerman_11 Michael_Ackerman_12

Todas as imagens de Michael Ackerman


Esta rubrica não é um guia dos notáveis da fotografia. Menos ainda, um espaço de “crítica” fotográfica (para a qual não estou qualificado nem tenho vocação). É um espaço que não aspira à neutralidade, reflectindo antes um gosto pessoal. Falarei dos fotógrafos cuja obra me toca, desafia e me faz reagir – não apenas visualmente, mas visceralmente. Precisamente por não ser um espaço de crítica, não haverá lugar para fotógrafos cujo trabalho não seja do meu agrado.

João Jarego


Os fotógrafos desta rubrica, estão disponíveis, após a sua publicação, em: Um fotógrafo às terças, com acesso ao arquivo por data de publicação e nome de autor.

Ações de formação no MEF

Divulgamos as ações de formação previstas para o período compreendido entre Junho e Dezembro de 2015:

A 2, 4, 5 e 7 de Julho, acontece o Curso Prático de Fotografia, Módulo de Retrato. De 23 a 26 de Julho, subimos até Barcelos com o Workshop de Fotografia em Festivais de Música durante o Festival Milhões de Festa. Em Setembro, e antes de viajarmos para Marrocos no Workshop de Fotografia Documental em Marrocos, vamos às vindimas com o Workshop de Cultura Vínica e Fotografia Documental. Em Outubro, lançamos uma nova edição do Curso de Iniciação à Fotografia e em Novembro, surge a viagem à China com o Workshop de Fotografia Documental na China.

 

Ontem aconteceu o 2º PEDIFOTO Este Espaço Que Habito

2_PEDIFOTO_EEQH
© Miguel Carriço

Aconteceu ontem, dia 20 de Junho, o 2º PEDIFOTO Este Espaço Que Habito. 30 participantes construíram as suas câmaras estenopeicas (pinhole), e enfrentaram o desafio de passar para película fotográfica os 20 temas que foram fornecidos ao longo do percurso.

Agradecemos à Arte Graça – Espaço Cultural e Educativo da Junta de Freguesia de São Vicente a cedência da sala para a montagem das câmaras e à Associação Cultural AnaPar, Ema Rocha e a Miguel Tojal por todo o apoio prestado.

O MEF agradece a todos os participantes pela partilha, convívio e participação nesta atividade. Dia 27 de Junho, pelas 17h, será conhecido o vencedor, com apresentação na Galeria Arte Graça.

O Pedifoto Este Espaço Que Habito é uma atividade integrada no projeto Este Espaço Que Habito – Integrar pela Arte, que está a ser dinamizado durante o ano de 2015. Este projeto conta com o financiamento do programa: PARTIS – práticas artísticas para a inclusão social da Fundação Calouste Gulbenkian e tem como parceiro institucional o Ministério da Justiça/Serviços de Justiça Juvenil.

São Tomé e Príncipe, uma fotografia documental

Em Fevereiro de 2016 o Movimento de Expressão Fotográfica promove o Workshop de Fotografia Documental, sendo o destino as ilhas de S. Tomé e Príncipe. Esta viagem tem como desafio fotográfico o de documentar o quotidiano das roças que são parte integrante da paisagem deste país e ícone cultural e identitário do povo são-tomense [iremos visitar as roças: Plateau, Bombaim, Água Izé, S. João de Angolares, Abade, Sundy, Agostinho Neto, entre outras] onde algumas delas ainda conservam as suas explorações de café e de cacau.

20070504_stpc2a9luisrocha_11
© Luís Rocha | Roça Água Izé, São Tomé e Príncipe 2006

Mais informações sobre esta ação de formação em viagem documental AQUI

Acontece hoje o PEDIFOTO Este Espaço Que Habito

Pedifoto_EEQH_MEF-2015Acontece hoje em Lisboa o 2º PEDIFOTO Este Espaço Que Habito. 33 participantes passeiam pelo Bairro da Graça com uma câmara estenopeica, munidos de 20 temas, com 5 pontos obrigatórios de percurso e de um rolo fotográfico de 36 fotogramas.


Pedifoto Este Espaço Que Habito é uma atividade integrada no projeto Este Espaço Que Habito – Integrar pela Arte, que está a ser dinamizado durante o ano de 2015. Este projeto conta com o financiamento do programa: PARTIS – práticas artísticas para a inclusão social da Fundação Calouste Gulbenkian e tem como parceiro institucional o Ministério da Justiça/Serviços de Justiça Juvenil.


 

Construção dos cadernos “Diários de Um Quotidiano” em Setúbal

Estamos a finalizar o projeto fotográfico Diários de Um Quotidiano, com os voluntários do grupo Toma Lá Dá Cá, em parceria com o SEIES. Este projeto consistiu na construção de um documento fotográfico sobre o Bairro do Troino e do Viso. A apresentação final deste projeto consiste na construção de um diário de campo, personalizado por cada participante no projeto. Nas imagens, a fase de construção/encadernação dos cadernos dos diários de campo.

encadernacao_1
© Luís Rocha
encadernacao_2
© Luís Rocha
encadernacao_3
© Luís Rocha
encadernacao_4
© Luís Rocha

TEMA MAG: SUBMISSÕES ABERTAS!

11430285_883523725047235_7426809094057849853_nA revista TEMA, dedicada à Fotografia Documental em todas as suas vertentes, abre a possibilidade de submissão de projectos/ensaios para publicação. Podem submeter imagens fotógrafos profissionais ou amadores, de qualquer nacionalidade e background.
O grupo de imagens a submeter tem que se configurar como um trabalho coerente e de natureza documental, independentemente do meio, técnica, sujeito ou abordagem utilizados.
Globalmente, a revista TEMA dedica-se à promoção da Fotografia Documental enquanto acto artístico de abordagem e reflexão sobre as mudanças na sociedade, cultura e território, em qualquer país ou espaço.
Os trabalhos a submeter devem aportar, de forma directa ou indirecta, ao tema de cada número. Para o número 4, a publicar em Outubro/Novembro 2015, o tema é RECOMEÇAR.
Mais informações em: TEMA MAG: SUBMISSÕES ABERTAS!