Arquivo da categoria: MEF

Eles promovem a inclusão na sociedade através da fotografia, o MEF no P3

p3

O Movimento de Expressão Fotográfica está há 15 anos a cultivar o gosto pela fotografia em públicos com pouco acesso à arte.

Artigo de Diana Pinto Alves no P3 do Público VER AQUI

 

Primeiros resultados do projeto Este Espaço Que Habito na Guarda

Este espaço que EU habito!!! Imagem estenopeica (pinhole) realizada por um dos jovens participantes no projeto Este Espaço Que Habito no Centro Educativo do Mondego. Guarda, 2015.
Este espaço que EU habito!!! Imagem estenopeica (pinhole) idealizada e realizada por um dos jovens participantes no projeto Este Espaço Que Habito no Centro Educativo do Mondego. Guarda, 2015.

Revelámos os rolos fotográficos, os primeiros resultados do projeto Este Espaço Que Habito no Centro Educativo do Mondego na Guarda já estão disponíveis. No início da próxima semana fazemos a edição e seleção do trabalho realizado.

JOVENS TERMINAM NARRATIVA FOTOGRÁFICA “ESTE ESPAÇO QUE HABITO” EM COIMBRA

Este Espaço Que Habito 2015, © Luís Rocha
Este Espaço Que Habito 2015, © Luís Rocha

Foram 10 dias em que a fotografia e a reflexão sobre o espaço envolvente preencheram o quotidiano dos jovens do Centro Educativo dos Olivais em Coimbra. Com o projeto “Integrar pela Arte – Este Espaço Que Habito” o MEF desafiou os jovens a construírem a sua própria narrativa fotográfica, através do registo de imagens dos lugares escolhidos por cada um. Cada jovem reuniu um conjunto de 80 imagens, acompanhadas por um registo escrito daquilo que os levou àquela escolha e composição. O projeto culminará numa exposição aberta ao público, em data a anunciar.

De seguida, o MEF vai levar esta iniciativa ao Centro Educativo do Mondego, na Guarda, ao Centro Educativo Padre António Oliveira em Caxias e ao Centro Educativo Navarro de Paiva, em Lisboa. Acompanhem todos os pormenores na página de Facebook.

Seis imagens fotográficas!

EEQH2015MEF1Na presente edição do projeto Este Espaço Que Habito, e no seguimento de projectos anteriores dinamizados pelo MEF, pretende-se contribuir para a aquisição de competências sociais por parte dos jovens envolvidos, assim como se tem em conta atividades que explorem a criatividade e a expressão artística através da qual os jovens possam trabalhar o seu autoconhecimento.

EEQH2015MEF2 EEQH2015MEF3 EEQH2015MEF4 EEQH2015MEF5 EEQH2015MEF7

Seis imagens fotográficas estenopeicas (pinhole) realizadas pelos jovens participantes no projeto.

Jovens de Coimbra fazem registo e análise das imagens captadas

CEO_I
Imagem estenopeica realizada por um dos jovens participantes no projeto.

As câmaras fotográficas foram construídas, os locais escolhidos e as imagens já começam a aparecer. Os jovens do Centro Educativo dos Olivais, em Coimbra, continuam a trabalhar diariamente na construção da sua narrativa fotográfica, num desafio lançado pelo MEF, que teve início no passado dia 3 de Agosto. Na próxima semana, os jovens vão selecionar as imagens que captaram com ajuda da câmara estenopeica (técnica pinhole) e vão analisar aquilo que foi apreendido ao longo dos dias. Enquanto o fazem, registam todas as impressões nos cadernos que estão a construir, os chamados “diários de campo”, onde explicam pelas suas próprias palavras aquilo que experienciaram.  Acompanhem todos os pormenores do projeto Este Espaço Que Habito na página oficial no Facebook.

Este Espaço Que Habito no Porto.

Cartaz_EEQH_2015

O MEF inicia hoje no Centro Educativo de Santo António, no Porto, o projeto “Integrar pela Arte – Este Espaço Que Habito”.

Um projeto em parceria com o Ministério da Justiça/Serviços de Justiça Juvenil e com o financiamento do PARTIS – apoio a projetos sociais destinados à integração social através das práticas artísticas, promovido pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Este ano contamos com o apoio cultural da Câmara Municipal do Porto/Teatro Municipal do Porto, Campo Alegre. Rivoli, e com o apoio logístico da Portugália Restauração S.A. a quem agradecemos toda a colaboração  prestada na estadia da equipa durante o projeto.

Ações de formação no MEF

Divulgamos as ações de formação previstas para o período compreendido entre Junho e Dezembro de 2015:

A 2, 4, 5 e 7 de Julho, acontece o Curso Prático de Fotografia, Módulo de Retrato. De 23 a 26 de Julho, subimos até Barcelos com o Workshop de Fotografia em Festivais de Música durante o Festival Milhões de Festa. Em Setembro, e antes de viajarmos para Marrocos no Workshop de Fotografia Documental em Marrocos, vamos às vindimas com o Workshop de Cultura Vínica e Fotografia Documental. Em Outubro, lançamos uma nova edição do Curso de Iniciação à Fotografia e em Novembro, surge a viagem à China com o Workshop de Fotografia Documental na China.

 

Viagem a Marrocos com fotografia documental

Marrocos2014_©LuisRocha_01
Marrocos2014 ©LuisRocha

A ação de formação em viagem fotográfica marroquina, workshop de fotografia documental em Marrocos,  acontece de 19 a 27 de Setembro de 2015, e explora a vertente estética da imagem e o seu carácter documentalista.

Esta ação de formação é aberta a todos,  quer a quem tenha conhecimentos de fotografia, quer a quem não possua conhecimento profundos de fotografia e deseja adquiri-los.

Marrocos2014_©LuisRocha_30
Marrocos2014 ©LuisRocha
Marrocos2014_©LuisRocha_10
Marrocos2014 ©LuisRocha
Marrocos2014_©LuisRocha_24
Marrocos2014 ©LuisRocha

 

Fevereiro de 2016, um documento das roças de São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe, Fotografia Documental

Em 2016 o Movimento de Expressão Fotográfica promove um Workshop de Fotografia Documental em São Tomé e Príncipe. Esta viagem tem como desafio fotográfico o de documentar o quotidiano das roças que são parte integrante da paisagem deste país e ícone cultural e identitário do povo são-tomense [iremos visitar as roças: Plateau, Bombaim, Água Izé, S. João de Angolares, Abade, Sundy, Agostinho Neto, entre outras] onde algumas delas ainda conservam as suas explorações de café e de cacau. Mais informações e inscrições AQUI

 

Fotografia Documental, quatro ações de formação no MEF

4 workshops com 4 destinos ligados à fotografia documental: Marrocos, Cultura Vínica, China e São Tomé e Príncipe.

Em Setembro deste ano, o MEF organiza o 3º Workshop de Fotografia Documental em Marrocos, que consiste na realização de um trabalho documental a ser realizado em cidades e aldeias de Marrocos. O workshop incidirá no método de aprendizagem através da prática, explorando a vertente estética da imagem e o seu carácter documentalista.

Marrocos 2015

Ainda em Setembro, mas uns dias antes de partirmos para Marrocos, estaremos no Workshop de Cultura Vínica e Fotografia Documental – 2ª edição, que tem como objectivo formar os participantes em Cultura Vínica, cruzando técnica e teoria de fotografia documental com técnica e teoria vínica. Este ação de formação terá lugar em Portugal, junto de um produtor de vinhos, parceiro do MEF nesta atividade.

Vinhos_2015

Já em Novembro, iremos pela primeira vez à China, integrados no Workshop de Fotografia Documental na China tendo este como objectivo a realização de um projecto fotográfico sobre a cultura chinesa e será orientado por uma equipa de formadores do MEF, que acompanhará os projectos individuais a desenvolver pelos participantes.

China 2015

Em Fevereiro de 2016 voltamos à ilha que tanto nos encantou, pela segunda vez organizamos o Ws de fotografia documental em São Tomé e Príncipe. Este ws tem como desafio fotográfico o de documentar o quotidiano das roças que são parte integrante da paisagem deste país e ícone cultural e identitário do povo são-tomense [iremos visitar as roças: Plateau, Bombaim, Água Izé, S. João de Angolares, Abade, Sundy, Agostinho Neto, entre outras] onde algumas delas ainda conservam as suas explorações de café e de cacau.

STP2016-1024x680

Este Espaço Que Habito na sessão “A Arte na Inclusão Social”

No próximo dia 16 de Abril, entre as 15h e as 18h30, acontece no Auditório Orlando Ribeiro em Telheiras – Lisboa uma sessão integrada no Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância, e que tem como tema “A Arte na Inclusão Social”. 
Nesta sessão irão ser apresentados projectos de intervenção social através da Arte e irá ser feita uma reflexão sobre a sua importância em diferentes áreas do desenvolvimento (pessoal, familiar e comunitário). O programa conta com a mostra do trabalho desenvolvido pelo Teatro IBISCO com jovens de bairros sensíveis de Loures, a apresentação do projecto “Este Espaço Que Habito” pelo Movimento de Expressão Fotográfica (MEF) desenvolvido nos Centros Educativos e com a projecção de filmes desenvolvidos durante as oficinas de iniciação ao cinema com crianças e jovens integradas no projecto “O Mundo à Nossa Volta” promovido pela Associação Os Filhos de Lumière. Ver PROGRAMA…
Estes projectos têm o apoio do programa PARTIS (Práticas Artísticas para a Inclusão Social) promovido pela F.C.Gulbenkian.
eeqh2014_cemondego_pinhole_1
Este Espaço Que Habito | Integrar pela Arte
Uma organização da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco e da Câmara Municipal de Lisboa, que inclui Ciclos Culturais, Exposições e Acções de Sensibilização para uma reflexão e diálogo em torno desta questão.

Agradecemos à Associação Os Filhos de Lumière o convite à participação nesta sessão.

1º dia da Oficina “Fotografia, território y memoria”

Oficina de Fotografia “Fotografia, território y memoria”

2ª_Oficina_Navia_2015_0011

Finalizámos o 1º dia da Oficina “Fotografia, território y memoria” com o fotógrafo  José Manuel Navia: iniciámos a conversa em torno da questão da memória e de território, temas tão presentes no seu trabalho, finalizando o dia sobre o seu processo de trabalho no projeto fotográfico “Cuenca en la mirada”.

2ª_Oficina_Navia_2015_0025

A primeira parte da sessão de hoje, passou pela análise e edição do trabalho fotográfico para utilização na imprensa ou em livro.

2ª_Oficina_Navia_2015_0033

Na segunda metade da oficina, refletimos sobre os conceitos de território (paisagem/população) e memória do ponto de vista fotográfico.

2ª_Oficina_Navia_2015_0004

Retomamos amanhã os trabalhos com a análise e edição dos trabalhos fotográficos dos participantes nesta Oficina.

2ª_Oficina_Navia_2015_0050

Fotografias de ©Luís Rocha / MEF

Há Festa no Campo, hoje no Jornal Público

11025763_769319619812107_8820506915214161738_n
[fotografia de Há Festa no Campo]

Em Janeiro de 2015, o Movimento de Expressão Fotográfica dinamizou o encontro fotográfico “Diário de Um Quotidiano” no projeto da “Há Festa no Campo/Aldeias Artísticas” nas aldeias do Barbaído, Chão da Vã, Freixial do Campo e Juncal do Campo. Hoje no jornal Público vem um excelente testemunho de toda a atividade que tem sido dinamizada pelas associações Css EcoGerminar Terceira Pessoa nestas comunidades, a quem endereçamos os parabéns pelo trabalho desenvolvido e agradecemos o convite.

Uma atividade integrada no PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian do qual o MEF é  um dos projetos apoiados.

 

Ws de Fotografia Documental em São Tomé e Príncipe, regresso a Portugal.

GroupPhotoSTP2015

 

Entre 31 de Janeiro e 14 de Fevereiro de 2015, estivemos em São Tomé e Príncipe a dinamizar 0 Workshop de Fotografia Documental em São Tomé e Príncipe. 

De regresso a Portugal, agradecemos a: Ana Pinto Gonçalves, Miguel Carriço, Bruno Miguel Castro, Luís Rocha, Catarina Samões, Rui Miguel Santos, Maria Fátima Ferreira, Rui Pedro Santos, Ana Rodolfo, Tânia Araújo, Shahd Wadi, Cristina Cabrita, Sérgio Manços, Cristina Coutinho, Pedro Padinha e Raquel Monteiro a excelente viagem que construíram durante estes dias de partilha em São Tomé e Príncipe.

Viagem conduzida por Pedro Padinha, com produção de Tânia Araújo e acompanhamento fotográfico por Luís Rocha.

Obrigado a todos.

Leve, leve. Tchaué!!!

Encontro de Fotografia, Diário de Um Quotidiano

quotidiano
Alguns dos participantes no Encontro de Fotografia | Fotografia de Tiago Moura

Movimento de Expressão Fotográfica a convite do Há Festa no Campo dinamizou a primeira sessão do Encontro de Fotografia “Diário de um Quotidiano” nas aldeias do Barbaído, Chão da Vã, Freixial do Campo e Juncal do Campo em Castelo Branco.

O desafio lançado por Luis Rocha e por Tânia Araújo, enquanto artistas convidados para dinamizar esta atividade, foi que cada participante construísse o seu “diário de um quotidiano”.

O MEF agradece a Marco Domingues e a Zélia Sofia Duarte, a toda a equipa da associação Css EcoGerminar, à associação Terceira Pessoa, a todos os habitantes das Aldeias que nos receberam de forma tão calorosa e aos participantes no Encontro de Fotografia pela partilha. Foi um quotidiano repleto de grandes momentos. Agradecimento às associações que nos receberam: à Associação de Caça e Pesca do Ribeiro Vale Sando e à Associação Cultural e Recreativa Juncalense.

Uma atividade integrada no PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian e com o apoio da Fundação EDP no âmbito da criação das aldeias artísticas.