Arquivo de etiquetas: BURUNTUMA

BURUNTUMA – ALGUM DIA SERÁS GRANDE …

C A Ç A D O R

Os Fulas são exímios e corajosos caçadores já que enfrentam as suas presas, muitas vezes nada pacíficas e corpulentas com espingardas bastante rudimentares, muitas delas de “carregar pela boca” o que implicava grande destreza no seu manuseamento.

Os melhores, cedo adquirem a categoria de “Homem Grande”, simultaneamente admirados e temidos, pois ao Caçador é atribuído muitas vezes poderes sobrenaturais dado o seu “desprendimento” pela vida.

F12


Inserida na vertente da fotografia documental que o MEF tem procurado dinamizar nas suas atividades, continuamos a publicação de um pequeno ensaio fotográfico,  imagens e textos do livro “BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” com autoria de Jorge Ferreira, sócio do MEF.

Ver Mais: BURUNTUMAABASTECIMENTO DE CABUCA;  V U L N E R A B I L I D A D E SRAPARIGA “BAJUDA” FULA; ENFEITES.


Anúncios

BURUNTUMA – ALGUM DIA SERÁS GRANDE …

E N F E I T E S

Às jovens Fulas, desde a mais tenra idade, são-lhes perfurados os lóbulos das orelhas para pendurarem argolas de ouro, prata, cobre ou alumínio conforme as posses da família. Aos cabelos prendem-lhes anilhas, discos, medalhas de ouro ou prata, moedas, contas e missangas, enfeites que revelam uma verdadeira arte feminina de sedução e forte personalidade. Também as fitas garridas, pentes e travessas, contas, missangas e conchinhas são enfeites para o cabelo.

Desde a mais tenra idade até à velhice, o penteado constitui o principal adorno das mulheres Futa-fulas, consumindo-lhes a maior parte do seu tempo de ócio.

O mesmo se constatava entre os Fulas-forros e Fulas–pretos embora de forma não tão aprimorada.

f09


Inserida na vertente da fotografia documental que o MEF tem procurado dinamizar nas suas atividades, continuamos a publicação de um pequeno ensaio fotográfico,  imagens e textos do livro “BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” com autoria de Jorge Ferreira, sócio do MEF.

Ver Mais: BURUNTUMAABASTECIMENTO DE CABUCA;  V U L N E R A B I L I D A D E SRAPARIGA “BAJUDA” FULA.


BURUNTUMA – ALGUM DIA SERÁS GRANDE …

RAPARIGA “BAJUDA” FULA

As jovens Fulas, bastante elegantes e de tez clara, são chamadas “bajudas” quando ainda solteiras e supostamente “virgens”, tendo porém já sido submetidas à cerimónia da Iniciação (Fanado).

Regra geral, ocupam-se das tarefas domésticas cuidando dos irmãos, providenciando o abastecimento de água e da lavagem da roupa e da “louça”. É habitual encontrarem-se grupos de “bajudas” junto aos cursos de água em grande “algazarra”, realizando essas tarefas caseiras e aproveitando essa pausa nos trabalhos do campo para se banharem.

Constituem um “activo” importante para a família, daí os pais procurarem casá-las com homens socialmente importantes e abastados por forma a receberem um avultado património em dinheiro ou cabeças de gado (TENHE).

f08


Inserida na vertente da fotografia documental que o MEF tem procurado dinamizar nas suas atividades, continuamos a publicação de um pequeno ensaio fotográfico,  imagens e textos do livro “BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” com autoria de Jorge Ferreira, sócio do MEF.

Ver Mais: BURUNTUMAABASTECIMENTO DE CABUCA;  V U L N E R A B I L I D A D E S.


 

BURUNTUMA – ALGUM DIA SERÁS GRANDE …

f01ABASTECIMENTO DE CABUCA

Esta Missão constituiu uma boa experiência para o que nos esperava em Buruntuma. Estava-se em plena Estação das Cuvas. O Destacamento de Cabuca necessitava de ser abastecido de géneros alimentícios e combustível. A estrada Nova Lamego – Cabuca estava alagada e o abastecimento aéreo era impraticável devido aos tectos baixos. Na primeira pausa das chuvas foi entendido proceder ao urgente abastecimento “por terra” conscientes das dificuldades que iríamos enfrentar. Com efeito, a estrada tinha sido implantada em terreno de “Bolanha” (cultura de arroz) e as 3 viaturas destacadas para esta Missão com frequência ficavam atascadas no lamaçal, havendo que as libertar com ajuda de “guinchos” fixados às árvores de maior porte. Nestas condições para percorrer cerca de 20 Kms demorámos mais de 8 horas, mas por fim concluímos a Nossa missão e à nossa chegada fomos recebidos em grande apoteose.

Jorge Ferreira


“BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …

Inserida na vertente da fotografia documental que o MEF tem procurado dinamizar nas suas atividades, iniciamos hoje uma nova rubrica – a publicação de um pequeno ensaio fotográfico,  imagens e textos do livro “BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” com autoria de Jorge Ferreira, sócio do MEF.


captura-de-ecra-2017-01-31-as-14-32-02
Retrato de jovem Fula © Jorge Ferreira

BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” é um livro de fotografia, uma reportagem fotográfica sobre um pelotão misto (20 militares guinéus e igual número de metropolitanos pertencentes ao ESQ. CAV. 252) que durante 11 meses (1961/62) esteve destacado naquela povoação fronteiriça.

Jorge Ferreira, através das suas imagens com mais de 50 anos, pretendeu testemunhar a actividade militar desenvolvida naquela Região – “Chão Fula” – e traçar um retrato das gentes que o habitava .


 

capa
Capa do Livro

“BURUNTUMA – algum dia serás GRANDE …” será publicado às terças-feiras.